A Estação da Luz é o símbolo maior da evolução da cidade de São Paulo.


Desde a inauguração da primeira linha férrea, em 1867, a edificação atualmente existente é a terceira naquele local, fruto da necessidade de ampliação pelo crescente fluxo de cargas e passageiros.


A estação teve sua construção iniciada em 1898, sendo inaugurada em 1901. Sua construção ficou a cargo da São Paulo Railway, empresa Britânica, então concessionária de diversas linhas em todo o país, tendo sido os materiais e o projeto, de autoria do Arquiteto Henry Driver, importados daquele país.


Os ingleses estiveram à frente da estação até 1946, quando a concessão foi passada ao governo federal, mesmo ano em que misteriosamente a estação foi devorada por um incêndio devastador. Durante os anos seguintes ela foi reconstruída, tendo partes ampliadas e modificadas, e era essa a sua feição remanescente até o início das obras de restauração, iniciadas em agosto de 2001 quando a estação completou 100 anos. A restauração da estação fez parte do projeto de ampliação e construção das estações de Metrô e trens da CPTM.


O Arquiteto Olympio Augusto Ribeiro atuou como consultor especializado em restauração nos últimos três anos de duração da obra, prestando consultoria diária no acompanhamento e elaboração dos procedimentos de restauração e na interface entre a obra de restauração e modernização e integração dos trens da CPTM e Metrô.